Última hora

Última hora

Eleições legislativas na Albânia marcadas pela violência

Em leitura:

Eleições legislativas na Albânia marcadas pela violência

Tamanho do texto Aa Aa

3,2 milhões de eleitores são chamados às urnas para elegerem um novo governo. O primeiro-ministro cessante, Sali Berisha tenta conquistar um terceiro mandato, mas pela frente tem um adversário de peso, trata-se do líder da oposição, antigo presidente da câmara de Tirana, a capital do país, Edi Rama.

Durante a campanha eleitoral, os dois candidatos prometeram criar empregos, reformar o sistema fiscal, e desenvolver a economia do país.

Mas mais uma vez, o escrutínio na Albânia fica marcado por suspeitas de fraude eleitoral. Por temer atos de violência e irregularidades na votação e na contagem dos votos, a comunidade internacional enviou perto de 500 observadores. O mesmo já tinha acontecido nas eleições anteriores.

O parlamento albanês é composto por 140 deputados. Este escrutínio conta com um total de 7129 candidatos, dois dos quais são independentes.

A eleição fica marcada pela morte de um alegado ativista da oposição de esquerda. O tiroteio ocorreu perto de uma esquadra de polícia na cidade de Lac, no norte do país. Para além da vítima mortal, três pessoas ficaram feridas, uma delas é um candidato do partido no poder que se encontra em estado grave num hospital local.