Última hora

Última hora

David Montcoutier: "É possível correr o Tour sem doping, mas vencer é outra coisa"

Em leitura:

David Montcoutier: "É possível correr o Tour sem doping, mas vencer é outra coisa"

Tamanho do texto Aa Aa

A poucos dias do início da Volta França, que começa no próximo sábado na Córsega, a euronews recebeu a visita do antigo ciclista David Montcoutier. O francês de 38 anos representou a Cofidis durante 15, participou em 10 Tour e venceu por quatro vezes a classificação de montanha da Volta a Espanha. Montcoutier encerrou a carreira no ano passado e nunca viu o nome envolvido num escândalo de doping. Um caso único no ciclismo?

euronews: Jan Ullrich admitiu recentemente ter recorrido ao doping e revelou ter sido cliente do doutor Eufemiano Fuentes. Antes disso, Lance Armstrong afirmou que era impossível vencer a Volta a França sem fazer uso de doping. Concorda?

David Montcoutier: Sim concordo, principalmente nos anos 2000. Não seria errado dizer que desde a chegada do EPO em meados de 94, todos os vencedores das grandes Voltas recorreram ao doping, mas não posso afirmá-lo com toda a certeza. Nesses anos o doping era omnipresente no ciclismo, mas talvez alguns estivessem limpos. No geral, a grande maioria usava drogas.

euronews: Como é que explica o facto de o ciclismo ser um ponto de referência do doping no desporto? Todos os outros desportos são limpos de drogas ou há menos controle?

Montcoutier: O ciclismo é sempre alvo de doping, porque é também onde há mais controles. É verdade que o doping faz parte desta modalidade, mas os números demonstram que o ciclismo é o sexto desporto na lista dos casos de doping. Nos últimos anos foi feito um esforço para reduzir esse número e seria errado pensar que todos os ciclistas são culpados, porque não o são.

euronews: Prevê um futuro brilhante para a modalidade?

Montcoutier: Eu não gostaria de usar a palavra “brilhante”, mas acredito que haja cada vez menos casos de doping. Na minha opinião, é possível competir na Volta a França sem drogas, como eu sempre fiz e não fui o único. No entanto, vencer o Tour é uma coisa diferente, as exigências são outras. Alguns ciclistas têm um talento especial, todos estamos bem treinados, mas há sempre um ou outro que se destaca em relação aos outros. Eu gostaria que ele estivesse limpo.

Na próxima sexta-feira, a euronews transmite a segunda parte da conversa com David Montcoutier, que vai antecipar o melhor da centésima edição da Volta França.