Última hora

Última hora

Austrália e Japão enfrentam-se no tribunal de Haia sobre a caça à baleia

Em leitura:

Austrália e Japão enfrentam-se no tribunal de Haia sobre a caça à baleia

Tamanho do texto Aa Aa

A Austrália acusa o Japão de praticar a caça à baleia com fins comerciais, disfarçados por um programa de investigação científica, para escapar a uma moratória internacional.

O diferendo entre os dois países começou a ser analisado esta quarta-feira no Tribunal Internacional de Justiça de Haia.

Apesar de ter assinado a moratória de 1986 que proíbe a caça do grande mamífero marinho com fins comerciais, o Japão mata anualmente cerca de mil baleias, no Oceano Antártico, alegando fins científicos, autorizados por um tratado de 1946.

Geerts Vons, representante da organização Sea Shepherd, diz esperar que “os juízes decidam a favor das leis e tratados existentes, que proíbem a caça à baleia dentro dos limites do santuário do Antártico e na zona económica exclusiva da Austrália e que proíbem também a caça a baleias que fazem parte da lista de espécies em vias de extinção”.

A organização de defesa da vida marinha promove há anos ações para perturbar a atividade dos baleeiros japoneses.

O Japão, que apresenta na próxima terça-feira os seus argumentos, comprometeu-se tal como a Austrália a aceitar a decisão final do tribunal de Haia.