Última hora

Última hora

Mandela, um herói para Obama e para o mundo

Em leitura:

Mandela, um herói para Obama e para o mundo

Tamanho do texto Aa Aa

Nelson Mandela, o ícone da luta contra o apartheid e primeiro presidente negro da África do Sul é um modelo que ultrapassou fronteiras e se transformou numa fonte de inspiração.

Em 2010, Barack Obama assinou o prefácio de um dos livros de Madiba – “Arquivo Íntimo”- escrevendo que Mandela foi “a lenda que mudou a história”.

A 27 de junho deste ano, em Dakar, no Senegal, Obama voltou a prestar-lhe homenagem: “Tive o privilégio de conhecer Madiba, de falar com ele. É um herói para mim e não devo ser a única pessoa a pensá-lo, é um herói para o mundo.”

Um herói de uma epopeia política e social, disposto a arriscar a vida pelo que acreditava. Em 1964, Mandela é condenado à prisão perpétua, num julgamento em que disse estar disposto a morrer pelo ideal de uma sociedade livre e democrática.

Mandela passou 18 dos 27 anos de cadeia na prisão de alta segurança de Robben Island. Foi um dos prisioneiros mais famosos do mundo e escreveu que “as cadeias do corpo são asas para o espírito.” Dormia numa minúscula cela que Obama visitou em 2006, quando ainda era apenas senador.

Mandela acabou por vencer a longa luta contra o apartheid. Um regime de segregação racial, estabelecido em 1948 na África do Sul, em que dois milhões de brancos dominavam oito milhões de negros. A luta de Madiba passou primeiro pelas armas, depois pela diplomacia e, no final, pelo perdão.

Tal como a África do Sul, também os Estados Unidos tiveram de batalhar pela igualdade racial. Nos anos 60, o país começava a transformar-se com o movimento dos direitos civis dos negros e a concessão do Prémio Nobel da Paz a Martin Luther King em 1964.

Em 1994, Nelson Mandela é eleito presidente, o primeiro chefe de Estado negro da África do Sul. Consegue reconciliar o país e converter-se no pai da nação arco-íris. Tinha 75 anos. Em 2008, com 47 anos, Barack Obama é o primeiro negro a chegar à presidência dos Estados Unidos.

Mandela e Obama são galardoados com o Prémio Nobel da Paz. Madiba ainda não era presidente e já tinha um longo passado de luta. Recebe o Nobel três anos depois de ter sido libertado, ao lado do último presidente do regime do apartheid, Frederik de Klerk, numa homenagem às negociações conjuntas para instalar uma política de reconciliação nacional. Barack Obama recebe o Nobel no início do primeiro mandato e o prémio foi visto, por alguns, como prematuro.