Última hora

Última hora

Alemães indignados com espionagem

Em leitura:

Alemães indignados com espionagem

Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos interceptam 500 milhões de telefonemas, emails e mensagens SMS todos os meses na Alemanha.

As revelações surgem na mais recente edição da revista alemã Der Spiegel.

O documento citado pela publicação categoriza a Alemanha como um parceiro de terceira categoria, ao mesmo nível de países como a China, o Iraque ou a Arábia Saudita.

A Alemanha seria ainda o país da União Europeia mais vigiado.

As alegações baseiam-se em documentos da agência norte-americana de segurança, NSA, organização para onde trabalhava o fugitivo Edward Snowden.

Para além da Alemanha, também a União Europeia seria um alvo preferencial da vigilância dos norte-americanos.

Reagindo às notícias, o presidente do parlamento europeu, Martin Schulz, afirmou que a confirmarem-se, as alegações teriam um impacto profundo nas relações entre a União Europeia e os Estados Unidos.

As alegações surgem numa altura em que estão em curso negociações entre os EUA e a UE relativamente à criação de uma zona de comércio livre.

Os únicos países fora da lista de vigilância norte-americana seriam o Canadá, a Grã-Bretanha, a Austrália e a Nova Zelândia.