Última hora

Última hora

Kerry: "espionagem é uma prática comum"

Em leitura:

Kerry: "espionagem é uma prática comum"

Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos tentam acalmar os ânimos da União Europeia em relação programa de vigilância PRISM.

O secretário de Estado norte-americano não comenta as acusações de espionagem, mas desvaloriza a prática que considera ser comum nos dias de hoje.

“Diria que todos os países do mundo que estão envolvidos em questões internacionais, de segurança nacional, desenvolvem várias atividades para protegerem a segurança nacional, e todo o tipo de informação contribui para isso. Tudo o que sei é que isso é comum em várias nações” afirma.

À beira de uma crise diplomática, Bruxelas pede explicações a Washington e lembra que a espionagem não uma prática comum entre países aliados.

“Clareza e transparência é o que nós esperamos dos nossos parceiros e aliados. É isso, que pedimos aos Estados Unidos“refere Ahrenkilde Hansen, porta-voz da Comissão Europeia.

A França já fez saber que não aceita este tipo de comportamento por parte dos Estados Unidos. A Alemanha também já reagiu.

“Se for confirmada a informação de que as representações diplomáticas estiveram sob escuta, isso seria inaceitável” refere Steffen Seibert, porta-voz de Angela Merkel.

De acordo com a imprensa internacional – que teve acesso a documentos fornecidos por Edward Snowden – a Agência Nacional de Segurança norte-americana há muito que vigia países, representações diplomáticas da União Europeia, a sede da NATO e milhões de cidadãos anónimos.