Última hora

Última hora

Apoiantes de Morsi receiam golpe de Estado militar

Em leitura:

Apoiantes de Morsi receiam golpe de Estado militar

Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de apoiantes de Mohamed Morsi saíram igualmente às ruas do Egito. Responderam ao apelo a manifestar lançado pela Irmandade Muçulmana, formação à qual o presidente egípcio pertence. O partido receia que os opositores de Morsi – a começar pelo exército – estejam a preparar um golpe para o derrubar, um ano apenas após a sua eleição.

“Se queremos implementar os princípios da democracia, então a democracia é: ‘quem foi eleito é que governa’”, defende um manifestante pró-Morsi. Outro explica: “Sentimos que a revolução que tínhamos levado a cabo ia ser-nos roubada. É por isso as forças islâmicas se reuniram de novo. O exército diz que não é um golpe militar mas, na verdade, é um golpe liberal e secular contra a revolução egípcia “.

Os apoiantes de Morsi assentaram arraiais perto de mesquitas. Querem assim fazer passar a mensagem de que o povo votou num presidente islamita e não num presidente liberal.

A situação no Egito começa a preocupar a comunidade internacional. Barack Obama, em visita a África, apelou ao presidente Morsi para que ouça o povo, ao mesmo tempo que disse defender apenas o processo de democrático sem apoiar nenhuma parte.

A ONU, por seu lado, apelou ao diálogo e sublinhou que esta crise terá um “impacto importante” nos outros países da região.