Última hora

Última hora

"Não me demito, não abandono o meu país", afirma Passos Coelho

Em leitura:

"Não me demito, não abandono o meu país", afirma Passos Coelho

Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro Pedro Passos Coelho já reagiu ao anúncio de demissão do ministro dos negócios estrangeiros, Paulo Portas.

Falando terça-feira à noite na televisão, Passos Coelho prometeu fazer tudo ao seu alcance para garantir a estabilidade política no país.

Na origem da crise está a saída, na segunda-feira, de Vítor Gaspar da pasta das finanças e a nomeação da secretária de estado do Tesouro, Maria Luís Albuquerque para o cargo.

“Nas próximas horas procurarei junto do CDS-PP clarificar e garantir todas as condições de estabilidade para o governo e para o país (…). Nesse sentido, também eu serei claro. Não me demito. Não abandono o meu país” afirmou o primeiro-ministro.

Durante o discurso, Pedro Passos Coelho adiantou que não aceita a demissão de Paulo Portas, acreditando que pode ainda chegar a um acordo com o CDS-PP.

O anúncio de Paulo Portas vai dificultar a ação do governo cuja maioria parlamentar depende do apoio do PP.

Os acontecimentos políticos das últimas 48 horas já tiveram consequências ao nível dos mercados. Os juros da dívida portuguesa a 10 anos subiram 35 pontos e a banca foi o setor mais penalizado do PSI vinte com quedas entre os três e cinco por cento.