Última hora

Última hora

Egito: Morsi deposto pelo Exército e detido no Ministério da Defesa

Em leitura:

Egito: Morsi deposto pelo Exército e detido no Ministério da Defesa

Tamanho do texto Aa Aa

As forças armadas retomaram o poder no Egito.

O Exército depôs o presidente Mohammed Morsi e dissolveu o parlamento dominado pelos islamitas. O chefe de Estado foi detido, juntamente com os seus próximos, e transferido para o Ministério da Defesa e os tanques patrulham as ruas das principais cidades do país.

O general Abdel Fattah Al-Sissi, chefe do Exército, decretou a “suspensão temporária da Constituição” e disse que o presidente do Conselho Constitucional, Adly Mansour, “irá prestar juramento” esta quinta-feira, “liderar o país durante o período de transição” e “convocar eleições presidenciais antecipadas”. O general prometeu também que o Exército irá “manter-se afastado da política”.

Os militares apertaram o cerco aos islamitas, detendo a liderança do Partido Liberdade e Justiça, braço político da Irmandade Muçulmana, e emitindo mandados de captura para 300 dos seus membros.

Pouco depois do Exército decretar a destituição de Morsi, o chefe de Estado deposto surgiu num vídeo difundido através da internet, no qual sublinhava que continua a ser “o presidente eleito do Egito” e apelando aos apoiantes para defenderem a sua “legitimidade” através da “resistência pacífica”.

A situação no Egito inquieta o Ocidente. O presidente norte-americano e o secretário-geral da ONU manifestaram “preocupação”, enquanto Bruxelas reclamou novas eleições presidenciais.

no comment