Última hora

Última hora

Militares egípcios matam 51 manifestantes

Em leitura:

Militares egípcios matam 51 manifestantes

Tamanho do texto Aa Aa

Cinco dias após a deposição de Nohamed Morsi, o exército disparou contra os manifestantes diante do edifício da Guarda Republicana no Cairo, matando pelo menos 51 pessoas, algumas estariam armadas.

As imagens dos acontecimentos foram filmadas pelo exército e enviadas aos meios de comunicação para justificar o ataque.

Os militares defenderam, numa conferência de imprensa os motivos que levaram a esta atitude.

O porta-voz do Exército

“Apesar de todas as medidas tomadas pelas Forças Armadas, tem havido apelos à violência e provocações contínuas para levar os manifestantes a cometer atos de violência contra instituições militares e estratégica.”

O Exército egípcio disse que os confrontos no Cairo aconteceram após a tentativa de “um grupo terrorista” de invadir na sede da Guarda Republicana

A Irmandade Muçulmana convocou uma “intifada” (levantamento popular) contra o Exército e as autoridades, às quais acusaram de cometer um “massacre” no local.