Última hora

Última hora

O impasse político no Egito

Em leitura:

O impasse político no Egito

Tamanho do texto Aa Aa

Adli Mansour presta sermão no dia a seguir ao golpe militar do exército egípcio que depôs o presidente Mohamed Morsi. O antigo juiz e presidente do Tribunal Constitucional torna-se presidente interino, um primeiro passo no que os militares garantem, será uma transição pacífica até novas eleições presidenciais e legislativas.

Como era previsível, a poderosa Irmandade Muçulmana, que estava no poder, rejeitou a nomeação do novo chefe de Estado. Sábado, a Irmandade excluiu a possibilidade de entrar em qualquer negociação política para sair de uma situação cada vez mais escaldante.

“Não nos podemos sentar à mesa e dialogar ou negociar ou falar de um plano de paz a menos que este golpe termine e todos os seus efeitos sejam revertidos com a libertação do presidente sequestrado e o regresso às suas funções, com a autoridade que lhe pertence. Só depois poderemos discutir como sair desta crise”, afirmou um alto responsável da Irmandade.

Uma declaração de rutura feita poucos momentos antes do anúncio pelos meios de comunicação oficiais da indigitação de Mohamed ElBaradei para primeiro-ministro interino.

Das negociações com as diversas forças políticas envolvidas no processo, e nomeadamente com o partido salafista Al Nour, que apoiou o golpe, surgiu o nome de ElBaradei, figura apoiada pela oposição liberal.

Domingo chega o desmentido oficial. A presidência informa que não foi escolhido nenhum nome para primeiro-ministro e que as negociações prosseguem.
A presidência apela ao consenso e estende a mão a todas as forças políticas, incluindo aos islamitas, entre os quais a Irmandade Muçulmana.

O apelo não foi escutado, muito pelo contrário. Por causa do massacre desta segunda-feira, os salafistas retiraram-se das negociações para a formação de um governo provisório e mergulharam o Egito num vazio político que os militares não se podem permitir num momento em que a violência cresce e a economia se desmorona