Última hora

Última hora

O "não regresso" de Nicolas Sarkozy

Em leitura:

O "não regresso" de Nicolas Sarkozy

Tamanho do texto Aa Aa

Nicolas Sarkozy regressa às luzes da ribalta mas, oficialmente apenas para tentar evitar a bancarrota do partido conservador francês.

O ex-presidente fez, esta segunda-feira, a sua primeira aparição pública desde a derrota eleitoral em maio do ano passado, para apelar às doações dos militantes.

Um regresso à sede do partido UMP depois da comissão eleitoral francesa ter condenado a formação a reembolsar 11 milhões de euros de subsídios públicos da campanha eleitoral de 2012, considerada demasiado dispendiosa.

Sarkozy garantiu que não pretende recandidatar-se a um novo mandato em 2017, num momento em que o ex-presidente é a única figura de um partido dividido a reunir o consenso da maioria dos militantes.

“Se um dia regressar à vida política, avisarei primeiro”, garantiu Sarkozy que depois de não ter conseguido endireitar as contas públicas francesas, enquanto presidente, tenta agora saldar as dívidas contraidas enquanto candidato presidencial.