Última hora

Última hora

Egito: a revolta dos apoiantes de Morsi contra um governo "ilegítimo"

Em leitura:

Egito: a revolta dos apoiantes de Morsi contra um governo "ilegítimo"

Tamanho do texto Aa Aa

Um dia de luto transformado num novo dia de revolta, no Egito, contra o derrube do presidente Mohamed Morsi pelo exército.

Milhares de apoiantes do chefe de estado deposto regressaram às ruas, esta terça-feira, no mesmo dia em que se realizaram os funerais dos mais de 50 manifestantes e militares mortos durante os confrontos do dia anterior.

Um protesto sob alta tensão depois da Irmandade Muçulmana ter apelado à revolta contra o que consideram ser um “governo ilegítimo saído de um golpe militar”.

“Eles mataram crianças durante as orações o que quer dizer que estamos mais próximos da vitória pois o conselho militar parece ter perdido o juízo”, afirma um manifestante.

O exército e a Irmandade Muçulmana continuam a trocar acusações sobre a responsabilidade dos incidentes de segunda-feira.

As autoridades egípcias afirmam ter interpelado mais de 600 pessoas que estão neste momento a ser interrogadas, no quadro de uma investigação aos confrontos.

Num comunicado, o exército egípcio apelou à calma reafirmando que não tolerará qualquer interferência na transição política no país.