Última hora

Última hora

Egito: Irmandade Muçulmana apela a "levantamento" popular

Em leitura:

Egito: Irmandade Muçulmana apela a "levantamento" popular

Tamanho do texto Aa Aa

A Irmandade Muçulmana apelou ao “levantamento” popular no Egito, depois de mais de cinquenta pessoas terem perdido a vida durante uma manifestação em apoio ao presidente deposto, Mohamed Morsi.

Para tentar acalmar a situação, o chefe de Estado interino decretou a realização de legislativas até ao início de 2014, seguidas de eleições presidenciais.

Um porta-voz da Irmandade Muçulmana acusou o Exército de usar vídeos antigos para dar uma imagem violenta dos apoiantes de Morsi.

Gehad el-Haddad afirmou que “a conferência de imprensa do Exército foi apenas ficção e mentiras. Todos os que participaram em grupos e movimentos revolucionários no Egito reconhecem que são de incidentes de há um ano e meio, em Abbassia”.

Os militares mostraram vídeos que descreveram como sendo de um assalto de manifestantes pró-Morsi, ontem, contra a sede da Guarda Republicana no Cairo.

O presidente interino, Adly Mansour, ordenou a abertura de um inquérito ao violento episódio, que para além de 51 mortos, se saldou em 435 feridos.

Denunciando um “massacre”, o partido salafista Al Nour – segunda força política do país – retirou-se das discussões para a formação de um governo de transição.

  • Egypt tension

    Anadolu agency 08/07/2013