Última hora

Última hora

Moçambique: Novo "eldorado" africano

Em leitura:

Moçambique: Novo "eldorado" africano

Tamanho do texto Aa Aa

Em busca de parcerias técnicas e formação profissional, a ministra dos Recursos Minerais de Moçambique visitou a Suécia, Noruega e Holanda.
Em Bruxelas explicou à euronews os planos de exploção de algumas das maiores jazidas de carvão e gás do mundo descobertas nos dois últimos anos.

Mas Esperança Bias defende que há outras prioridades para além dos recursos energéticos. “Temos estado a priorizar, através de fundos de capacitação institucional, o treinamento de cada vez mais moçambicanos. Temos estado, através de projetos de responsabilidade social que as empresas fazem, temos estado a privilegiar a questão da água, que é fundamental, temos estado a privilegiar a questão da educação e temos estado a privilegiar a questão da saúde”, explicou a ministra moçambicana.

O quarto país mais pobre do mundo, saído de uma guerra civil há 16 anos, é agora um eldorado que pode gerar entre 200 e 400 mil milhões de euros nas próximas décadas. Consciente dos riscos da corrupção interna e sobreexploração das multinacionais, o governo quer promover a transparência.

Esperança Bias lembra que “já há uma provisão, dentro daquilo que é a lei das parcerias público-privadas e na lei dos grandes projetos e nas concepções empresariais, de que todos os contratos são públicos. Isto é um compromisso que o governo assumiu.”

Com uma economia centrada na agricultura, pesca e crescente popularidade do eco-turismo, Moçambique cresce a uma taxa média de 7,5% por ano. Mas mais de 50% dos 20 milhões de habitantes ainda vivem abaixo do limiar da probreza.