Última hora

Última hora

O desfecho da "tragédia" do teatro Bolshoi de Moscovo

Em leitura:

O desfecho da "tragédia" do teatro Bolshoi de Moscovo

Tamanho do texto Aa Aa

O governo russo tenta pôr fim aos escândalos que minam há vários meses o teatro Bolshoi de Moscovo com a nomeação de um novo diretor.

Vladimir Urin assumiu hoje as rédeas de uma das companhias mais reputadas do mundo, prometendo uma renovação profunda.

O até agora diretor do teatro musical Stanislavsky apelou à união para superar as divisões e intrigas do passado.

“É importante que esta transição entre diretores seja feita de forma normal, calma e civilizada”, afirmou Urin, durante uma conferência de imprensa em que esteve igualmente presente o antigo diretor do Teatro.

Serguei Filine tinha abandonado o cargo, de forma provisória, depois de ser alvo de um ataque com ácido em janeiro que o deixou quase cego, mesmo após ser submetido a 18 operações.

A investigação da polícia permitiu identificar o mandante da ação, Pavel Dmitrichenko, o bailarino estrela da companhia, habituado aos papéis de vilão em produções como o Lago dos Cisnes ou Ivã o terrível.

Dmitrichenko reconheceu ter pago ao agressor de Filine, embora afirme nunca ter previsto um ataque com ácido.

Termina assim mais um capítulo na longa história de intrigas e rivalidades do teatro fundado no século XVIII.