Última hora

Última hora

Os laureados de Karlovy Vary

Em leitura:

Os laureados de Karlovy Vary

Tamanho do texto Aa Aa

O filme do realizador húngaro Janos Szasz “Le Grand Cahier” ganhou o grande prémio no Festival Internacional de cinema de Karlovy Vary. O filme é uma coprodução entre a Hungria, Alemanha, Áustria e França e conta a história de dois gémeos de 13 anos forçados a viver com a avó cruel, no final da II Guerra Mundial. É baseado num romance do autor húngaro Agota Kristof.

Sándor Söth, produtor: “É um filme de guerra, mas sem a guerra. É sobre duas crianças e o seu desenvolvimento psicológico através da guerra e os danos que a guerra pode fazer às crianças, que não é um segundo tema da II Guerra Mundial, é um tema atual.

O festival homenageia filmes da Europa de Leste, numa secção especial. O prémio deste ano foi para a Polónia com “Floating Skyscrapers”, um filme do jovem cineasta Tomasz Wasilewski: “O meu filme é sobre o amor, o amor entre um menino e uma menina, um menino e um menino, mãe e filho, pai e filho, o que foi muito interessante para mim foi explorar assuntos que nunca são mostrados em filmes polacos. Procuro sempre personagens que estão quebradas por dentro, mostrando muitas minorias diferentes, não apenas sexuais, mas as sociais. É sempre muito emocionante e interessante para um cineasta”.

“Floating Skyscrapers” é sobre um atleta que desenvolve um forte vínculo com um homem, começa um caso de amor com consequências devastadoras.

Este romance gay visualmente atraente oferece uma abordagem sensível sobre a sexualidade humana, a busca da identidade e o desejo de aceitação social.

O lendário produtor, guionista e realizador Oliver Stone recebeu o Globo de Cristal de Melhor Contribuição Artística ao Cinema Mundial, na cerimónia de encerramento do festival de Karlovy Vary.