Última hora

Última hora

18 anos depois Srebrenica continua a enterrar os seus mortos

Em leitura:

18 anos depois Srebrenica continua a enterrar os seus mortos

Tamanho do texto Aa Aa

Dezoito anos após o massacre de Srebrenica, a Bósnia continua a enterrar as vítimas dos cinco dias trágicos de 1995 em que a Europa assistiu ao pior genocídio desde a segunda guerra mundial.

Cerca de 409 cadáveres de homens, mulheres e crianças muçulmanos, trasladados de fossas comuns, foram sepultados esta quinta-feira no memorial de Potocari, entre os quais, 44 adolescentes e uma bebé.

Uma familiar das vítimas afirma: “É muito difícil. Não sei como é que estas mães e irmãs se sentem mas é muito duro. Mas posso imaginar o que sente a mãe deste bebé”.

A maioria dos restos mortais foram recuperados em fossas comuns e identificados graças a amostras de ADN.

Um antigo capacete azul do contingente holandês da ONU que assistiu, impassível, ao massacre na chamada “zona segura”, participou igualmente no enterro da bebé.

“Nós trabalhámos em equipa para tentar identificar a bebé, pois sabíamos que tinha sido enterrado em 1995. Era a única coisa que podíamos fazer”, afirma Dave Maat.

Dezoito anos depois do massacre, o tribunal penal internacional que julga os dois principais responsáveis da matança decidiu retomar a acusação de “intenção genocida” contra Radovan Karadzic pelos massacres cometidos em vários municípios da região.

O antigo chefe político dos sérvios da Bósnia, julgado por genocídio e crimes de guerra tinha sido absolvido da mesma acusação no ano passado.