Última hora

Última hora

Bangladesh: Líder islamita considerado culpado de crimes na guerra

Em leitura:

Bangladesh: Líder islamita considerado culpado de crimes na guerra

Tamanho do texto Aa Aa

O líder espiritual do maior partido islamita do Bangladesh, Ghulam Azam, foi considerado culpado de atrocidades cometidas durante a luta pela independência do Paquistão em 1971.

O réu chegou a ser comparado a Hitler pela acusação devido ao seu papel de “guia” nos massacres.

No exterior do tribunal manifestantes protestavam contra a pena aplicada:

“Chamo-me Bichu Jalal. Lutei pela liberdade e estou satisfeito com o veredicto, porque ele foi o criminoso de guerra número 1, mas ficaria muito mais feliz se ele fosse condenado à morte”, disse um dos manifestantes.

Ghulam Azam, de 90 anos, que liderava o Jamaat-e-Islami, o maior partido islâmico do país, foi acusado pelo “tribunal internacional de crimes” de Daca de ter ajudado o exército paquistanês a criar milícias suspeitas de serem responsáveis pela morte de três milhões de pessoas.

O Jamaat-e-Islami acusa o poder de ter criado este tribunal por motivos políticos, já que a maioria dos acusados pertence à oposição.

Esta manhã, registaram-se confrontos entre militantes do partido e a polícia.