Última hora

Última hora

Volta a França: Froome ainda não tem o triunfo assegurado

Em leitura:

Volta a França: Froome ainda não tem o triunfo assegurado

Tamanho do texto Aa Aa

A Volta a França entra na sua fase decisiva e se mantiver a forma mostrada nas duas primeiras semanas, Chris Froome não deverá perder a camisola amarela até Paris.

No entanto, com quatro etapas de montanha e um contrarrelógio pela frente, será que os 4m14s de vantagem para Bauke Mollema são suficientes para o inglês dormir descansado?

Christian Prudhomme, diretor do Tour, o chefe de fila da Sky “encontra-se numa excelente posição, mas ainda assim terá de defrontar os seus adversários com uma equipa que não tem nada a ver com aquela que ajudou o Bradley Wiggins a ganhar o ano passado.”

A importância de uma equipa forte é realçada por Eddy Merckx, que venceu por cinco vezes a Volta a França. De acordo com o belga, a sua missão está dificuldade pelos abandonos de Boasson Hagen e Kyrienka pelo que tudo depende dos ciclistas ainda em prova, sabendo de antemão que nos Alpes é cada um por si.

Para Richard Virenque, vencedor por sete vezes do prémio da montanha, a Sky tem vindo a acusar o desgaste de defender o seu líder, o que ao menos contribui para que a corrida continue em aberto.

Já Andy Schleck admite não está preocupado com Froome mas sim com a vintena de ciclistas que se tem exibido a um melhor nível que ele. O luxemburguês ocupa um modesto 18º posto.

Esta segunda-feira a caravana do Tour efetuou um merecido descanso antes de se fazer novamente à estrada para cinco dias diabólicos. Sobretudo para quem ainda sonha em roubar a camisola amarela a Chris Froome.