Última hora

Última hora

18 de julho: Jornada Internacional Nelson Mandela

Em leitura:

18 de julho: Jornada Internacional Nelson Mandela

Tamanho do texto Aa Aa

Em Junho de 1988, Nelson Mandela estava na prisão há 25 anos. A sua popularidade já era enorme além fronteiras.
A opinião pública internacional defendeu e elegeu Mandela líder da luta contra o apartheid na África do Sul.
Na altura, já tinha 70 anos.
Os artistas do mundo inteiro mobilizaram-se pela sua libertação.

A libertação não tardou: Frederik de Klerk chegou ao poder em 1989 e, dois anos mais tarde, em 11 de fevereiro de 1990, libertou Mandela.
À saída da prisão, o defensor da liberdade fez um discurso pacífico, sem qualquer espírito de vingança.

Pediu aos sul-africanos para lançarem ao mar as espingardas, as catanas e as facas, no dia 26 de fevereiro e Durban.

Mandela tornou-se o construtor negro da sociedade multiracial e De Klerk, a seu lado, o demolidor branco do apartheid.
Foram agraciados, ambos, com o Prémio Nobel da Paz em 1993.

Em maio de 1994, Mandela foi eleito presidente da África do Sul. Na tomada de posse, a 10 de maio do mesmo ano, declarou: “ Comprometemo-nos a construir uma sociedade em que todos os sul-africanos, brancos ou negros, possam caminhar de cabeça erguida, sem qualquer medo, seguros do direito inalienável à dignidade humana – uma nação de arco-íris, em paz com ela mesma e com o mundo.”

Em 1998, casou com a viúva do presidente moçambicano Samora Machel, Graça, professora catedrática e presidente do conselho da administração da Universidade do Cabo.

1.09 Anniversaire Hyde Park, Londres, 27 juin 2008 – 90 ans de Mandela

Mandela retirou-se da vida política, em 2004, mas continuou a juntar multidões, nos quatro cantos do mundo. Aquele a quem chamam Madiba, pôs o nome do libertador ao serviço das grandes causas como a luta contra a sida ou contra a pobreza.

Mandela em Hyde Park:

“Onde houver pobreza e doença, incluindo a sida, onde houver seres humanos oprimidos, há mais trabalho a fazer.
O nosso trabalho é conseguir a libertade para todos”

Por um mundo mais justo, a UNESCO criou a Jornada Internacional Nelson Mandela a 18 de julho, data do seu aniversário.

Arquiteto da reconcialiação sul-africana, símbolo da igualdade entre brancos e negros, Mandela acedeu ao plano de heroi interplanetário.

Declarou um dia:” Não sou nenhum Messias, sou apenas um homem vulgar que em extraordinárias circunstâncias se tornou um líder.”