Skip to main content

Mais anos de trabalho, menos risco de Alzheimer
| Partilhe este artigo
|

Retardar a idade da reforma reduz o risco de desenvolver a doença de Alzheimer. Algo confirmado por um estudo realizado em França, com quase meio milhão de pessoas.

Este estudo mostrou que as pessoas fisicamente ativas, permanecem envolvidas socialmente e mentalmente ágeis, e todos estes fatores contribuem para prevenir o declínio mental.

O trabalho do Instituto Francês de Saúde e Pesquisa Médica, foi recentemente apresentado em Boston e considera que, por cada ano adicional de trabalho, o risco da doença é reduzido em 3,2 por cento.

Heather Snyder: “Estas pessoas que ficam cognitivamente ativas, que continuam a trabalhar por um maior período de tempo, parecem apresentar um risco menor de desenvolver demência ou dificuldades na memória, pensamento e raciocínio.”

As novas investigações confirmam a hipótese de que o “exercício mental” aumenta a função cerebral.

Os investigadores estudaram 429 mil trabalhadores, a maioria comerciantes ou artesãos. Tinham em média de 74 anos e estavam reformados há cerca de 12 anos atrás.

Os resultados confirmam que uma pessoa que se reforma aos 65 anos apresenta um risco de desenvolver a doença 15% menor, comparado com alguém que se reforma aos 60 anos.

Heather Snyder: “Continuar a estar envolvido em qualquer coisa que seja agradável para a pessoa. Os meus pais estão reformados, mas estão mais ocupados do que nunca. Estão a ter aulas na universidade local. Continuam a ir às aulas, a estar cognitivamente e socialmente envolvidos nas suas vidas.”

Cerca de 35 milhões de pessoas em todo o mundo sofrem de Alzheimer e a prevenção apresenta-se sempre como uma boa alternativa.

Copyright © 2014 euronews

Mais informação sobre
| Partilhe este artigo
|

Login
Por favor, introduza os seus dados de login