Última hora

Última hora

Vice-primeiro-ministro italiano escapa a moção de censura e salva governo

Em leitura:

Vice-primeiro-ministro italiano escapa a moção de censura e salva governo

Tamanho do texto Aa Aa

O governo italiano está salvo. O vice-primeiro-ministro e ministro do Interior, Angelino Alfano, um protegido de Silvio Berlusconi, sobreviveu à moção de censura da oposição. O senado rejeitou-a em peso.

Em causa, a implicação de Alfano na expulsão, em maio, de uma família de dissidentes cazaque – o que o ministro negou.

Apesar de extremamente dividido, o Partido Democrático, ao qual pertence o primeiro-ministro, Enrico Letta, decidiu não apoiar a moção de censura, evitando, assim, o desmembramento da frágil coligação esquerda-direita.

Em apenas 2 dias, em maio, a mulher e a filha do dissidente cazaque Muktar Abliazov foram extraditadas para Almaty. Uma rapidez de processo que levantou rumores sobre eventuais favores acordados à Itália pelo governo do Casaquistão, país rico em recursos energéticos.