Última hora

Última hora

Mercados caucionam decisão de Cavaco Silva

Em leitura:

Mercados caucionam decisão de Cavaco Silva

Tamanho do texto Aa Aa

Os mercados caucionaram o discurso do presidente Cavaco Silva e a manutenção do governo PSD/CDS. Os juros da dívida pública regressaram a mínimos anteriores à crise política desencadeada com a resignação de Vítor Gaspar da pasta das Finanças e a carta de demissão “irrevogável” do ainda ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas.

A bolsa de Lisboa também reagiu favoravelmente à decisão de Cavaco Silva, como explica Rui Bárbara do Banco Carregosa: “O mais positivo é subida de todos os índices e a estabilização dos juros da dívida pública portuguesa. O governo vai permanecer em funções, pelo menos até à realização de novas eleições que estão agendadas para daqui a dois anos. O executivo está comprometido com a troika e com as medidas acordadas, por isso, penso que regressámos ao ponto onde estávamos há um mês.”

O índice principal da praça de Lisboa, o PSI-20, ganhava 1,7 por cento a meio da sessão com 17 cotadas a negociar no verde. A banca liderava os ganhos com as ações do Banif a valorizarem mais de 8 por cento. Os yelds da dívida pública baixaram em todas as maturidades, com as obrigações a 10 anos a descerem para os 6,401 por cento no mercado secundário.