Última hora

Última hora

Tunísia: Salafista radical suspeito do homicídio de Brahmi

Em leitura:

Tunísia: Salafista radical suspeito do homicídio de Brahmi

Tamanho do texto Aa Aa

O governo tunisino suspeita que o assassinato de Mohamed Brahmi foi cometido por um salafista radical. A arma do crime de quinta-feira foi também utilizada para silenciar Chokri Belaïd, outro opositor morto em fevereiro. A denúncia foi feita pelo executivo, num dia em que muitos tunisinos saíram às ruas para protestar contra o homicídio.

O ministro do interior explicou esta sexta-feira que o inquérito policial revelou que os dois políticos da oposição foram assassinados com a mesma pistola de 9 mm. Lofti ben Jeddou disse ainda que as autoridades suspeitam que o autor dos dois crimes é Boubacar Hakim, um salafista radical da organização Ansar al Charia que já era procurado por contrabando de armas provenientes da Líbia. No total foram identificados 14 suspeitos de participação no homicídio de quinta-feira.

Mohammed Brahmi foi morto à queima-roupa quando descia da viatura em frente à sua casa. O político de 58 anos era membro da assembleia constituinte e fundador do Movimento do Povo, uma formação laica e nacionalista. Brahmi era um crítico feroz do partido islâmico Ennahda, que detém as rédeas do poder. O funeral realiza-se es