Última hora

Última hora

Galiza: maquinista detido por suspeita de homicídio por negligência

Em leitura:

Galiza: maquinista detido por suspeita de homicídio por negligência

Tamanho do texto Aa Aa

O maquinista do comboio que descarrilou na Galiza vai ser acusado de homicídio por negligência.

Francisco Garzón já recebeu alta hospitalar e encontra-se, agora, detido numa esquadra da polícia em Santiago de Compostela. Ao que tudo indica, ainda, não prestou declarações. Recusou qualquer tipo de apoio psicológico e deve ser ouvido amanhã por um juiz.

O ministro do Interior afirma haver “indícios razoáveis” de que o maquinista teve responsabilidade no desastre. Em conferência de imprensa, o governante adiantou que a decisão final está nas mãos do juiz.

No total, 71 pessoas feridas no acidente de comboio, em Santiago de Compostela, continuam hospitalizadas, cerca de metade em estado grave.

Santiago González, um capitão do Exército na reserva é um dos sobreviventes. Viajava na segunda carruagem, sofreu ferimentos ligeiros e conta como ainda teve força para ajudar outros passageiros:

“Só conseguia ver a cabeça das pessoas, as lágrimas e os olhos que brilhavam no silêncio com expressões como que a pedir: tirem-me daqui. Consegui com a ajuda de uma outra pessoa tirar um passageiro da carruagem. Voltámos ao comboio e retiramos outro, e outro e por aí adiante.”

78 pessoas morreram naquele que já foi considerado o pior acidente ferroviário das últimas décadas em Espanha. As vítimas já foram todas identificadas.