Última hora

Última hora

Seul desafia Pyongyang no aniversário do armistício

Em leitura:

Seul desafia Pyongyang no aniversário do armistício

Tamanho do texto Aa Aa

O armistício que pôs fim à guerra na Península Coreana foi assinado há 60 anos.

O ambiente de festa que, hoje, se vive tanto na Coreia do Norte como na Coreia do Sul contrasta com a tensão gerada após o ensaio nuclear realizado há cinco meses.

Para a Coreia do Norte o armistício assinala o “dia da vitória” de uma guerra que provocou entre dois e quatro milhões de mortos.

Na altura foi estabelecida uma zona desmilitarizada de quatro quilómetros que separa, desde então, as duas Coreias, oficialmente, ainda hoje em guerra.

Em dia de festa, Seul apela ao bom senso do líder da Coreia do Norte.

A chefe de Estado sul coreana diz estar disponível para aumentar as trocas comerciais e a cooperação com o país vizinho desde que Pyongyang faça a escolha certa, ou seja, que ponha de lado as ambições nucleares.

A Coreia do Sul quer convencer Pyongyang e não está sozinha. O vice-presidente chinês encontrou-se, recentemente, com o líder norte-coreano na tentativa de pressionar a retoma das negociações a seis sobre o programa nuclear, suspensas desde 2009.