Última hora

Última hora

Espanha: primeiros funerais enquanto maquinista se prepara para ir a tribunal

Em leitura:

Espanha: primeiros funerais enquanto maquinista se prepara para ir a tribunal

Tamanho do texto Aa Aa

Este sábado, tiveram lugar em Cádis e Valladolid os funerais de sete das vítimas mortais do pior acidente ferroviário das últimas décadas em Espanha.

As autoridades já identificaram os corpos dos 78 mortos na sequência do descarrilamento da passada quarta-feira perto de Santiago de Compostela. Mais de 70 pessoas continuam hospitalizadas, 31 das quais em estado crítico.

Depois de ter recebido alta hospitalar, o condutor do comboio de alta velocidade foi transferido para uma esquadra de polícia. Francisco José Garzón irá comparecer hoje em tribunal, acusado de homicídio por negligência.

Acompanhado pela responsável do Desenvolvimento, o ministro espanhol do Interior visitou ontem o local da tragédia, afirmando que existem “indícios razoáveis” de que o maquinista de 52 anos teve responsabilidade no acidente.

Numa transcrição de uma comunicação via rádio revelada pelo jornal El País, Garzón admite circular a 190 quilómetros por hora, mais do dobro da velocidade autorizada no troço em causa.