Última hora

Última hora

Tunísia: novo acordo para a partilha do poder para breve

Em leitura:

Tunísia: novo acordo para a partilha do poder para breve

Tamanho do texto Aa Aa

As cidades tunisinas de Sidi Bouzid, berço da revolução de Jasmim, e Tunes voltaram a ser palco de protestos.

Os manifestantes não se conformam com o assassínio do dirigente da oposição Mohamed Brahmi e apontam armas ao partido no poder. A noite ficou marcada por confrontos com polícia, mas não há registo de vítimas mortais.

“Temos todo o direito de estar aqui. A prova disso, é que esta manifestação foi autorizada pelo Ministério do Interior” refere Selma Baccar, membro do Parlamento.

Os parceiros de coligação do partido Ennahda anunciaram estar a negociar um novo acordo para a partilha do poder na tentativa de acalmar os ânimos nas ruas. Um acordo que pode ser alcançado, ainda, hoje.

Uns pedem a demissão do governo, outros a continuidade dos islamitas no poder. E foram muitos os que na última noite disseram em Tunes estar ao lado do governo. Duas manifestações seguidas de perto por um forte contingente policial.

“Estamos aqui para reivindicar os nossos direitos, para apoiar o governo e defender a memória de todos aqueles que morreram por nós. Queremos uma vida melhor para os nossos filhos” refere uma tunisina.

O assassínio de Brahmi, o segundo político da oposição em sete meses deu um novo alento à população laica que pede a dissolução do governo e do Parlamento.

“Temos direito a manifestar-nos e a prova disso, é que o regime não nos quisesse aqui já nos teria expulsado” refere uma tunisina.

“Estamos aqui para reivindicar os nossos direitos, para apoiar o governo e defender a memória de todos aqueles que morreram por nós. Queremos uma vida melhor para os nossos filhos” refere um tunisino.