Última hora

Última hora

Laticínios da Fonterra banidos em vários países, com receio do botulismo

Em leitura:

Laticínios da Fonterra banidos em vários países, com receio do botulismo

Tamanho do texto Aa Aa

Vários países, incluindo a China e a Rússia, anunciaram, esta segunda-feira, ter proibido a venda de laticínios do maior fabricante do mundo, a Fonterra.

O gigante agro-alimentar da Nova Zelândia admitiu, sábado, a existência de bactéria do botulismo em alguns lotes de leite para bebés e bebidas para desportistas.

No caso da China, o alarme social é grande devido ao escândalo, há alguns anos, com leite para bebés contaminado com melanina.

Um avô chinês queixa-se que “as marcas nacionais não são boas e agora as marcas estrangeiras também não. Já não sei o que escolher. As marcas nacionais foram denunciadas no passado e passámos a usar leite em pó importado, mas este da Nova Zelândia também tem problemas. Terei de falar com os pais do bebé sobre o que fazer”.

Tal como o próprio governo da Nova Zelândia fez esta segunda-feira, os consumidores criticam a empresa por não ter divulgado os resultados dos testes mais cedo j’a que foram efectuados em Maio de 2012.

Uma mãe e consumidora neozelandesa disse que “se a Fonterra estivesse mesmo preocupada com os consumidores, devia tê-los informado de imediato como era seu direito”.

Apesar de ainda não ter sido declarado nenhum caso de doença por causa de contaminação com estes produtos, os centros de aconselhamento parental são inundados com pedidos de informação.

“No sábado tivemos mais do dobro de chamadas em relação ao habitual. No domingo quadruplicaram, mantedo-se o mesmo hoje. Há um aumento enorme de chamadas”, disse uma funcionária do centro de Plunket, na Nova Zelândia.

O botulismo é uma infeção que provoca paralisia, podendo os casos mais graves terminar em morte.

O presidente da Fonterra pediu desculpa às pessoas afetadas, mas negou qualquer tentativa de dissimulação do caso.