Última hora

Última hora

Perpétua para antigo chefe das forças armadas turcas

Em leitura:

Perpétua para antigo chefe das forças armadas turcas

Tamanho do texto Aa Aa

Condenado a prisão perpétua por crimes de conspiração contra o governo. O general Ilker Basbug, chefe das forças armadas entre 2008 e 2010 é a principal personalidade entre os 275 arguidos julgados no caso Ergenekon, um processo com cinco anos, símbolo da luta entre partidários do governo islâmico de Recep Tahiip Erdogan e nacionalistas e laicos.

Entre os acusados estão altos oficiais das forças armadas e personalidades da sociedade civil, académicos, advogados e jornalistas. As sentenças variaram, indo até à prisão perpétua.

Akif Hamzacebi, deputado do principal partido da oposição, o CHP, diz que se trata de “uma farsa e uma ameaça ao exército turco, inaceitável. Se uma pessoa está a ser julgada por ser comandante das forças armadas turcas, então significa que tem como alvo o exército da República da Turquia”, diz.

Dos 275 acusados, 21 foram absolvidos. Nas ruas as opiniões são diversas, mas há um ponto em comum: os crimes provados devem ser castigados.

“Quem merecer um castigo deve enfrentá-lo, seja general ou um homem comum”, diz um turco. “Se algumas pessoas tentaram retirar um governo com a força dos militares e se existirem provas, então deve haver um castigo. Mas eu sou contra atirarem pessoas para a prisão antes dos crimes serem provados”, diz outro.

As autoridades mobilizaram um forte dispositivo de segurança para a zona do tribunal, no complexo prisional de Silivri, a oeste de Istambul.

  • Ergenekon trial protests

    Anadolu agency