Última hora

Perpétua para autores de ataques em série contra ciganos

Em leitura:

Perpétua para autores de ataques em série contra ciganos

Tamanho do texto Aa Aa

O processo durou dois anos e meio, esta terça-feira foi anunciada a sentença. Três homens foram condenados a prisão perpétua por vários ataques contra a comunidade cigana e o assassinato de pelo menos 6 pessoas, entre 2008 e 2009. Um outro homem foi sentenciado a 13 anos de prisão por cumplicidade.

Os ataques eram realizados com armas de fogo, granadas e cocktails molotov. Os quatro admitiram envolvimento mas alegaram inocência nas mortes.

Num dos ataques, uma casa foi incendiada, provocando a fuga de um homem e o filho de 5 anos. Os dois foram depois abatidos a tiro.

A viúva, Renata Jakab, reagiu à sentença por telefone à Euronews. “Primeiro senti algum alívio pelo facto de ter havido finalmente uma sentença. Fico satisfeita com a sentença mas a verdade é que não há veredicto que traga o meu filho e o meu marido de volta. A dor contínua”, disse.

A acusação defendeu que os atacantes, alguns com ligações a grupos nacionalistas, tinham a intenção de desencadear um conflito étnico.

O caso comoveu a opinião pública húngara, a polícia foi criticada por pouco ter feito.

Os ciganos são o maior grupo étnico na Hungria, constituem 7 % dos 10 milhões de húngaros.

Inside the courtroom before the verdict
Image: Gergő Tóth