Última hora

Última hora

"A bola está do lado dos iranianos", afirma Washington

Em leitura:

"A bola está do lado dos iranianos", afirma Washington

Tamanho do texto Aa Aa

Tudo indica que a intransigência da era Ahmadinejad chegou ao fim. O mandato presidencial de Hassan Rohani, à frente do Irão, inicia-se sob o signo do diálogo. Nas suas próprias palavras, há uma “profunda determinação” para resolver a problemática nuclear através da via negocial. Ou seja, Rohani parece assumir a tarefa de convencer o mundo dos fins pacíficos do enriquecimento de urânio naquele país.

Os Estados Unidos reagem assim: “Se quiserem respeitar as obrigações internacionais e caminhar para uma solução pacífica, há passos específicos a dar. A bola está do lado deles”, declarou a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki.

Nem todos acolhem com expetativa a renovada moderação iraniana. Para o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, o braço de ferro é para continuar: “O presidente iraniano diz que a pressão não resulta. Não é verdade. A única coisa que tem resultado, nas últimas duas décadas, tem sido justamente a pressão. E a única coisa a fazer agora é aumentar essa pressão.”

Já a Rússia anunciou que vê no novo presidente a oportunidade para alterar de vez a dinâmica dos embargos, que tem vergado a economia iraniana. Em setembro, Vladimir Putin vai expressar pessoalmente o apoio, num encontro com Rohani.