Última hora

Última hora

Bombas em terra vietnamita ainda são fonte de rendimento e causa de morte

Em leitura:

Bombas em terra vietnamita ainda são fonte de rendimento e causa de morte

Tamanho do texto Aa Aa

Nguyen Thi Tam, de 48 anos, cava a terra com um boné do FBI, mas não trabalha para o governo americano nem para nenhum outro. A sua, é uma história de luta pela sobrevivênca num país onde as minas continuam a matar agricultores, apesar da guerra ter acabado em 1975.

Herdou o detetor de metais do marido, que morreu com a explosão de uma mina sem ter acabado de pagar o material.

Nguyen Thi Tam:

“Tenho um arrozal tão pequeno que não cultivo porque não tenho água suficiente para a irrigação. Não tenho opções. Sei muito bem que o que faço é perigoso, mas tenho de continuar. Uma taça de sangue por uma taça de arroz. Viver ou morrer a fazer este trabalho…é uma questão do destino”

Durante a guerra, os norte-americanos lançaram cerca de 8 milhões de toneladas de bombas. Um terço delas não chegou a explodir. Thi Tam tinha 27 anos e quatro filhos, o mais pequeno recém-nascido, quando o marido morreu a desenterrar uma bomba.

Ela não teve outra escolha senão a de continuar o mesmo trabalho para alimentar a família, afirma:

“Durante este tempo todo, a fazer o mesmo, aprendi muito sobre as bombas. Escuto o detetor, se forem grandes ou pequenas. Antes levava tudo para casa, para vender por pouco mais de dois dólares, mas já ninguém quer comprar bombas que não foram desativadas. Quando encontro alguma, aviso os especialistas para a destruírem”.

Além de perigoso, recolher bombas desativadas é ilegal, desde há pouco tempo. Para a organização Mines Advisory Group, que elimina as minas nessa província, a ajuda de pessoas como Nguyen Thi é crucial, apesar de nada receber pela bomba encontrada.

Nguyen Hoang Thang, MAG:

“Os detetores de metal são extremamente úteis. Praticamente todos os dias, alguém nos chama para desativar bombas.”

A província de Qang Tri foi uma das mais afetadas pelos bombardeamentos durante a guerra. Atualmente, acredita-se que 90% da terra pode estar contaminada por bombas e minas daquela época.

As que explodiram, são fonte de rendimento: um quilo de metal por um dólar. Pouco valor tem a vida.