Última hora

Última hora

Egito: Novo dia de violência

Em leitura:

Egito: Novo dia de violência

Tamanho do texto Aa Aa

A violência reacendeu-se no Egito.

Um edifício governamental em Gizé, no Cairo, foi incendiado. Em Alexandria houve confrontos entre apoiantes e opositores de Mohammed Morsi. Nos diversos incidentes em todo o país, terão já morrido pelo menos três polícias.

A situação ameaça degradar-se nas próximas horas. A Irmandade Muçulmana convocou novos protestos e pediu à população que participe, em massa, nos funerais das vítimas de quarta-feira.

Na mesquita de Al-Iman, no Cairo, as famílias foram chamadas a reconhecer mais de 200 corpos, que os responsáveis religiosos garantem que não fazem parte do balanço oficial.

O Egito está de novo em estado de emergência e em 11 províncias foi decretado um recolher obrigatório noturno. A detenção de Mohammed Morsi voltou a ser prolongada esta quinta-feira por mais 15 dias.

Dos acampamentos dos apoiantes do presidente deposto restam cinzas e um pesado balanço. Segundo o Ministério da Saúde, em todo o país, morreram 525 pessoas e mais de 3700 ficaram feridas.

Entre as vítimas mortais contam-se quatro dezenas de agentes. Alguns foram enterrados, no Cairo, com horas militares.