Última hora

Última hora

Repressão egípcia "ameaça a democracia no mundo inteiro"

Em leitura:

Repressão egípcia "ameaça a democracia no mundo inteiro"

Tamanho do texto Aa Aa

O que está a acontecer no Egito pode ter consequências a nível mundial. Foi o primeiro-ministro turco quem lançou o aviso. Recep Tayyip Erdogan considera que os países ocidentais têm de tomar uma posição quanto ao avanço daqueles que apelida de “golpistas que massacram pessoas que fizeram uma escolha em eleições”. Diz Erdogan: “Se o Ocidente não tomar medidas sérias, é a democracia no mundo inteiro que fica em jogo.”

Ao longo do dia de quarta-feira, os Estados Unidos foram endurecendo de tom. Num primeiro momento, lamentaram a situação. Algumas horas depois, o secretário de Estado, John Kerry, vinha proferir palavras bem mais incisivas: “Estes acontecimentos são deploráveis e anulam as aspirações dos egípcios pelo alcance da paz, da inclusão, da verdadeira democracia. Os egípcios dentro e fora do governo devem fazer marcha-atrás. Devem estabilizar a situação para evitar mais vidas perdidas.”

A China pede aos partidos egípcios contenção e diálogo urgentes. No centro de Jacarta, na Indonésia, centenas de muçulmanos juntaram-se para apelar ao fim da sangrenta repressão militar.