Última hora

Última hora

Massacre de Marikana: Sul-africanos homenageiam mineiros mortos há um ano

Em leitura:

Massacre de Marikana: Sul-africanos homenageiam mineiros mortos há um ano

Tamanho do texto Aa Aa

Os cânticos e as danças marcam o início da homenagem aos 34 mineiros mortos a tiro há um ano na mina de Marikana, na África do Sul.
A colina onde ocorreu o massacre é o palco da cerimónia.
Milhares de sul-africanos concentram-se para lembrar os mortos, mas também para lembrar que os motivos dos protestos de há um ano ainda não estão resolvidos. Por isso, o governo sul-africano acusa os sindicatos de usar esta cerimónia para fazer manifestações e não vai marcar presença.

As imagens chocaram o mundo: a 16 de agosto de 2012 a polícia abriu fogo contra um grupo de mineiros em protesto, naquele que foi considerado o pior massacre após o fim do apartheid. 34 pessoas morreram, mais de 70 ficaram feridas.

Os mineiros estavam em greve pela melhoria dos salários. Um ano depois, a violência persiste. Nos últimos meses, vários sindicalistas foram mortos, vítimas da luta entre sindicatos na mina de platina, explorada pelo grupo britânico Lonmin.