Última hora

Última hora

Época baixa no Egito

Em leitura:

Época baixa no Egito

Tamanho do texto Aa Aa

O ambiente tenso no Egito está a afetar a indústria do turismo. Viagens canceladas e turistas a regressar a casa assinalam o que parece ser uma longa temporada de época baixa para o turismo egípcio. A taxa de ocupação dos hotéis resume-se agora aos 56%, algo insólito para um destino de verão tão procurado.

Fabio Catafei, operador turístico: “Não aceitamos nenhumas partidas até 20 de agosto. Alguns outros operadores pararam as reservas até 15 de setembro. É o caso na Alemanha, na França e até na Rússia, pararam de viajar por um tempo”.

As zonas mais populares do Cairo, como Luxor, a Montanha de Moisés e o Mosteiro de Santa Catarina também assistem a inúmeros cancelamentos, de quem tinha em mente descobrir o Mar Vermelho nestas férias.

O Reino Unido, França, Espanha e Itália aconselham os cidadãos a permanecer nos hotéis devido à hostilidade nas ruas.

O turismo é uma parte essencial da economia egípcia, corresponde a 11% do PIB e dá emprego a três milhões de pessoas.