Última hora

Última hora

Qianhai: Uma experiência chinesa

Em leitura:

Qianhai: Uma experiência chinesa

Tamanho do texto Aa Aa

É lentamente que avança o projeto-piloto de Qianhai, na região chinesa de Shenzhen, na fronteira com Hong Kong.

Pequim criou, há um ano, a zona de cooperação especial que servirá de teste para a completa liberalização da economia e a conversão do yuan. O objetivo é atrair milhares de milhões de euros de investimento estrangeiro, que no ano passado recuou.

Na zona, as empresas terão uma taxa de imposição de 15% e não de 25 e poderão aceder a créditos dos bancos, por exemplo, em Hong Kong, em yuan, a divisa chinesa.

O projeto avança lentamente. Professor da Universidade de Hong Kong, Chan Yan-Chon, explica que o “governo central está a ser cauteloso, tendo de fazer face aos imensos pedidos de outras cidades. Por exemplo. Porquê Qianhai? Porque não Xangai?”.

Em Hong Kong receia-se perder importância para Qianhai, no futuro. Mas já os promotores temem, atualmente, que a faixa de 15 quilómetros no delta do Rio das Pérolas se transforme em mais uma cidade fantasma na China.