Última hora

Última hora

Novas revelações alarmantes em Fukushima.

Em leitura:

Novas revelações alarmantes em Fukushima.

Tamanho do texto Aa Aa

A empresa Tokyo Electric Power, estima que 30 mil milhões de becquerel de césio e estrôncio terão sido lançados ao Oceano Pacífico. Águas subterrâneas, contaminadas com elementos radioativos que, através de vazamentos, poluíram o mar.

Esta quarta-feira tinha sido já anunciado o vazamento de 300 toneladas de água, altamente radioativa, de um dos tanques, um incidente qualificado de grave pelo órgão regulador nuclear japonês, e que põe em causa a fiabilidade de 300 outros tanques:

“Eu não acho que seja um único tanque. Se ocorreu um vazamento num devemos assumir que a mesma coisa pode acontecer noutros tanques e tomar medidas para lidar com isso”, afirma o Presidente desta entidade Shunichi Tanaka.

Depois de um tsunami ter feito explodir os reatores, em março de 2011, a TEPCO identificou cinco vazamentos nos enormes cilindros. Estão, por isso, a decorrer testes de controlo nos 300 tanques. Na quinta-feira, o operador da central deu o alerta para novos pontos de alta radiação, perto de tanques de armazenamento, aumentando os temores de novos vazamentos.

No total, a TEPCO instalou não menos de mil tipos diferentes de tanques para armazenar milhões de litros de água radioativa, de sistemas de refrigeração, nas proximidades dos reatores. Devido a este aumento de armazenamento, 400 toneladas a mais todos os dias, estes tanques são montados um em cada dois dias e meio. A forma como ocorre esta montagem causa dúvidas sobre a sua resistência.

Esta poluição radioativa, que circula pela água, representa um risco real para a saúde das populações. Esta semana, surgiram os primeiros resultados de check-ups médicos realizados em crianças e jovens que tinham até 18 anos na época do desastre. Dos 210 mil exames de despistagem do cancro da tiroide, 18 deram positivo. Noutros 25, o cancro está em formação. 150 mil pessoas ainda precisam de ser examinadas.