Última hora

Última hora

António Guterres fala na "geração perdida" da Síria

Em leitura:

António Guterres fala na "geração perdida" da Síria

Tamanho do texto Aa Aa

Um milhão de crianças sírias tiveram de fugir de suas casas por causa da guerra. É o número avançado pelo Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, que classifica este balanço de “vergonhoso” e que ilustra com a seguinte comparação: imagine-se, por exemplo, o País de Gales sem nenhuma criança. Sabendo-se que a esmagadora maioria delas não tem sequer 11 anos, António Guterres afirma que “a Síria enfrenta o sério risco de perder toda uma geração.”

O Alto Comissário fez eco das dificuldades financeiras da agência das Nações Unidas para fazer face a este contexto. “Não temos condições para responder às necessidades de todos os refugiados, nem para lhes garantir o respeito integral pela dignidade, e esta é uma questão fulcral”, salienta Guterres.

As crianças representam metade do número total de refugiados – 140 mil deles encontram-se no campo de Zaatari, na Jordânia. “Queria voltar à Síria para viver em paz e regressar à escola, brincar com os amigos, como dantes. Gostava que o país fosse seguro para voltar a viver lá”, explica uma das crianças de Zaatari.

A ONU declara que esta é a mais grave crise humanitária desde o genocídio no Ruanda, em 1994.