Última hora

Última hora

Soldado americano que massacrou 16 afegãos foi condenado a prisão perpétua

Em leitura:

Soldado americano que massacrou 16 afegãos foi condenado a prisão perpétua

Tamanho do texto Aa Aa

Antes de ser condenado a prisão perpétua, Robert Bales pediu desculpa pelo que chamou de “ato de cobardia”. No entanto, o sargento americano não evitou que o júri militar decidisse que a pena não é passível de um dia comutar para liberdade condicional, como alegadamente pretendia. No tribunal de Tacoma estavam familiares dos 16 afegãos que Bales assassinou, durante a noite, a sangue frio.

“Ele vai passar o resto da vida na prisão, mas pergunto aos americanos que castigo dariam a um homem que entra em vossa casa, a meio da noite, mata 11 pessoas e tenta queimá-las?”, declarava um deles. Outro dizia: “Se lhe pudesse falar, perguntava-lhe porque é que fez isto? Um ser humano não faz o que ele fez.”

Bales nunca explicou porque é que, em março de 2012, atacou duas aldeias em Kandahar, no Afeganistão, sozinho, durante a madrugada, matando 16 habitantes, sobretudo mulheres e crianças, regressando depois à base militar onde cumpria a sua missão.