Última hora

Última hora

Eleições em Moscovo: um combate de David contra Golias

Em leitura:

Eleições em Moscovo: um combate de David contra Golias

Tamanho do texto Aa Aa

A corrida à liderança da câmara de Moscovo entra na reta final. A 8 de setembro, a capital russa vai a votos para escolher o próximo autarca. De acordo com as sondagens, não há dúvidas que o homem que já tinha sido nomeado pelo Kremlin para estar à frente dos destinos da cidade vai regressar ao posto. Trata-se de Sergueï Sobianine, o político alérgico aos debates televisivos porque diz que “não gosta de dar biscoitos aos adversários fazendo-lhes publicidade”. A tática foi-lhe ensinada pelo próprio presidente, Vladimir Putin, que a utilizou nas últimas presidenciais.

As sondagens creditam Sobianine com 67 por cento das intenções de voto, muito à frente de Alexeï Navalny, o carismático ativista que recolhe apenas 13 por cento. O advogado é conhecido como o inimigo número um de Putin, uma reputação que forjou nos protestos das últimas presidenciais e no blog em que denunciou vários escândalos de corrupção. O personagem é incómodo para o poder mas poderia sê-lo ainda mais se fosse afastado da corrida eleitoral. Talvez por isso a Justiça o tenha deixado sair em liberdade, enquanto aguarda a decisão de recurso sobre a condenação a cinco anos de cadeia num caso de fraude. A confirmação da sentença excluí-lo-ia da corrida ao Kremlin em 2018.