Última hora

Última hora

Exército da RD Congo região de onde os rebeldes retiraram

Em leitura:

Exército da RD Congo região de onde os rebeldes retiraram

Tamanho do texto Aa Aa

O exército da República Democrática do Congo (RD Congo) ocupou a área, no leste do país, de onde os rebeldes retiraram para permitir uma investigação das Nações Unidas a vários ataques lançados contra a população civil, na semana passada.

O governo de Kinshasa responsabilizou os guerrilheiros do movimento M23 pelo lançamento de obuses que mataram diversos civis. As autoridades afirmam que o ataque foi lançado a partir do Ruanda enquanto que os rebeldes dizem que foram as forças armadas da República Democrática do Congo a atingir a população civil na cidade de Goma, no leste do país. Os responsáveis congoleses acusam também o Ruanda de “crimes de guerra”.

O movimento M23 é formado por soldados congoleses que desertaram do exército e que protagonizam, há 18 meses, uma revolta na zona leste do país, uma região rica em minérios.

A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton está “muito preocupada” com a escalada da violência na região de Goma, depois da morte de um ‘capacete azul’ e condenou as “tentativas de internacionalizar o conflito”.

As guerras, a fome e as doenças mataram milhões de pessoas no leste do Congo nas últimas duas décadas e fizeram um sem número de refugiados. Nesta região dos Grandes Lagos mata-se pelo controlo de importantes reservas de ouro, diamantes e estanho.