Última hora

Última hora

Vice-MNE sírio acusa Ocidente de fabricar provas

Em leitura:

Vice-MNE sírio acusa Ocidente de fabricar provas

Tamanho do texto Aa Aa

O vice-ministro sírio dos Negócios Estrangeiros, Faysal al-Mikdad garante que o recente ataque químico em Damasco foi montado pelos rebeldes e por espiões ocidentais.

O diplomata falou em exclusivo à euronews e defendeu o governo sírio, em vésperas de um possível ataque ao país.

Mohamed Abdel Azim, euronews: John Kerry falou em provas da utilização de armas químicas pelo exército sírio. Como responde?

Faysal al-Mikdad: Essas provas são ridículas e dão-me vontade de rir. Eu era o embaixador da Síria no Conselho de Segurança da ONU quando o Sr. Colin Powell nos mostrou uma garrafa com pó branco e afirmou tratar-se de uma prova da utilização de armas químicas por parte do regime iraquiano contra o seu povo. Mais tarde descobrimos que se tratava de afirmações sem fundamento.

euronews: O senhor viu imagens na internet e na televisão mostrando famílias e crianças que tinham sido queimadas por gases e armas químicas. O senhor viu essas imagens em Damasco?

Faysal al-Mikdad: Nós confirmamos que as pessoas que utilizaram armas químicas eram agentes dos serviços secretos americanos e dos seus aliados. Foram os serviços secretos que fabricaram esta história com Bandar Bin Sultan, que é um espião ao serviço da América e dos serviços secretos ocidentais. A Síria está inocente. A nossa moral não nos permite cometer este tipo de crimes. As imagens podem ser genuínas mas quem as usou foram os criminosos e os terroristas apoiados pelos Estados Unidos, pela França e outros países.

euronews: Há alguma possibilidade do governo sírio poder enfrentar este tipo de bombardeamento que vai visar alvos estratégicos e sensíveis?

Faysal al-Mikdad: Não somos um estado poderoso para dizer que temos capacidade para enfrentar a máquina militar americana. Não posso dizer isso. Mas vamos resisir e defender a nossa dignidade e a honra dos cidadãos sírios e do território sírio.