Última hora

Última hora

Exposição Internacional de Robôs em Taiwan

Em leitura:

Exposição Internacional de Robôs em Taiwan

Tamanho do texto Aa Aa

A exposição Internacional de Robôs de Taipé é um dos grandes eventos tecnológicos de Taiwan.

Ao longo de uma semana, trezentas empresas exibiram as últimas novidades da robótica no domínio da saúde, da indústria e do entretenimento.

Um dos grandes destaques da feira foi um exoesqueleto robótico desenvolvido em Taiwan.

Há vários projetos de investigação em diferentes países que procuram desenvolver robôs para ajudar pessoas com deficiência motora.

O Instituto de Investigação em Tecnologia Industrial de Taiwan que está a desenvolver o projeto afirma que o exoesqueleto de 23 quilos é um dos mais baratos do mercado. O preço ronda os 7500 euros.

“Estas pernas robóticas foram concebidas para pessoas paralisadas da cintura para baixo. As pernas ajudam as pessoas a levantar-se e a andar. Por outro lado, previnem que as pessoas se magoem . As pernas têm quatro motores, dois ao nível das ancas e dois ao nível dos joelhos. Os motores imitam o ritmo dos movimentos das pernas humanas e ajudam as pessoas a movimentarem-se.”, explicou Wu Cheng-Hua, do Instituto de Investigação em Tecnologia Industrial de Taiwan.

A defesa é uma das aplicações privilegiadas da robótica. Recentemente uma empresa americana desenvolveu um robô-soldado capaz de reproduzir as ações e os movimentos de soldados humanos.

Em Taiwan, a companhia Sha Yang Ye desenvolveu pequenos robôs lutadores que reagem aos movimentos.

“Os robôs são controlados por um detetor de movimentos. O aparelho lê o movimento e o robô segue o comando, por exemplo, bater, virar ou levantar”, explicou Shayne Lo, da empresa Sha Yang Ye.

Os robôs são cada vez mais precisos na execução de tarefas complexas. Com ajuda de um computador e de uma câmara, é possível calcular de forma exata a posição de um objeto de modo a que o o robô o possa identificar e movimentar.

“Usamos sensores óticos a três dimensões para calcular a posição dos õbjetos. Essa informação é usada depois usada pelo software de desenho e calcula-se a posição dos objetos que se encontram dispostos ao acaso. O robô pode pegar em cada objeto e colocá-lo no local apropriado”, referiu Wu Chin-Chia, do Instituto de Investigação em Tecnologia Industrial.