Última hora

Última hora

Rússia pode apoiar moção contra as armas químicas, mas Putin quer provas

Em leitura:

Rússia pode apoiar moção contra as armas químicas, mas Putin quer provas

Rússia pode apoiar moção contra as armas químicas, mas Putin quer provas
Tamanho do texto Aa Aa

Vladimir Putin não exclui a possibilidade de a Russia apoiar uma resolução das Nações Unidas para punir o uso de armas quimicas na Síria, mas quer provas.

Questionado numa entrevista à agência APTN e ao canal russo de televisão Chanel One, Putin respondeu:

“Não excluo essa possibilidade, mas gostaria de chamar a atenção para um aspeto crucial. De acordo com a lei internacional, só o Conselho de Segurança da ONU pode avalizar o uso da força contra um estado soberano. Nenhum outro pretexto ou método pode ser usado para justificar o uso da força contra um estado independente e soberano. É inadmissível e só pode ser interpretado como uma agressão”.

Um recado direto a Washington. Putin lamentou que Obama tivesses cancelado o encontro que estava previsto entre os dois.

Na entrevista, o presidente russo disse ainda que congelou o fornecimento dos componentes dos mísseis S300 ao regime sírio, mas que se forem dados passos para violar o direito internacional, vai refletir sobre o que fazer no futuro, sugerindo que pode mesmo vender os mísseis a outros países”.

A entrevista ocorre dois dias antes da reunião do G20, em São Petersburgo.

A cimeira que deveria abordar os desafios da economia global, será certamente dominada pela crise internacional provocada pelo alegado uso de armas químicas pelo regime sírio.