Última hora

Última hora

Síria: televisão dinamarquesa entrevista sobreviventes de ataque químico

Em leitura:

Síria: televisão dinamarquesa entrevista sobreviventes de ataque químico

Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto a comunidade internacional debate uma eventual intervenção na Síria e o regime e os rebeldes trocam acusações, os sobreviventes do ataque com armas químicas nos arredores de Damasco descrevem o horror que viveram.

Uma televisão dinamarquesa entrevistou duas irmãs, refugiadas no Líbano, que garantem que estavam no bairro de Ghouta a 21 de Agosto, data do polémico ataque.

Umme Mohammad explica que acordou “com dores no peito, sentia como se fosse vomitar”. Afirma que não sofreu “tanto como outros” elementos da família, acrescentando que “um primo começou a ter contrações musculares e a tremer”.

A irmã diz que estavam no “quarto andar”, o que lhes permitiu escapar do efeito nocivo do gás, acrescentando que “os que estavam abaixo do segundo andar morreram todos”.

As duas mulheres dizem ter perdido sete membros da família no ataque, que segundo os diferentes relatos fez entre 500 e 1400 mortos.