Última hora

Última hora

Chile: Aniversário do golpe militar de Pinochet atinge presidenciais

Em leitura:

Chile: Aniversário do golpe militar de Pinochet atinge presidenciais

Tamanho do texto Aa Aa

Passam esta quarta-feira 40 anos sobre o golpe militar liderado pelo general Augusto Pinochet, que derrubou, no Chile, o governo eleito do socialista Salvador Allende. De regresso ao país, onde vai tentar reconquistar o lugar de chefe de estado, Michele Bachelet visitou na Villa Grimaldi o memorial às vítimas de Pinochet e a cela onde esteve detida no início da ditadura de 17 anos do general.

No palácio presidencial, o atual Chefe de Estado, Sebastian Piñera, liderou as cerimónias oficias dos 40 anos sobre o golpe militar, que teve, à altura, apoio de alguns membros e simpatizantes do atual Governo chileno. O presidente clamou justiça para as vítimas da ditadura. “A Verdade e justiça são necessárias para haver paz e reconciliação. É por isso que devemos continuar em busca da verdade e de maior justiça. Aqueles que tiverem informação relevante, tem a obrigação moral de a divulgar”, exigiu Piñera.

A recordação da ditadura de Pinochet está a provocar um aceso debate na campanha presidencial. Piñera, o primeiro presidente de direita eleito desde o regresso da democracia ao Chile há 20 anos, concorre contra a antecessora Michele Bachelet, do centro esquerda e a primeira mulher a ter liderado o Palácio La Moneda, a casa do Chefe de Estado, que ela ocupou entre 2006 e 2010.

As eleições presidenciais no Chile estão marcadas para 17 de novembro.