Última hora

Última hora

Memórias de vidas forjadas nos bancos da escola

Em leitura:

Memórias de vidas forjadas nos bancos da escola

Tamanho do texto Aa Aa

Muitas pessoas lembram-se de um momento no decorrer da sua educação, que determinou as respetivas vidas. Um exercício, um professor, ou qualquer outra pessoa. Nesta edição de Learning World vamos descobrir que tipo de lições aprenderam algumas pessoas, como, por exemplo, o ex-primeiro-ministro britânico, Gordon Brown ou ainda a Prémio Nobel da Paz e escritora iraniana, Shiri Ebadi.

Shirin Ebadi, Prémio Nobel da Paz e escritora iraniana

“Do meu pai aprendi a igualdade de direitos. Ele tratava o meu irmão da mesma forma que tratava as suas três filhas. Na verdade aprendi com a minha família que os seres humanos são todos iguais e não deve haver discriminação de género, religião ou raça. Nasci e cresci numa família muçulmana, mas fiz toda a minha educação numa escola zoroastrista”.

Gordon Brown, Enviado Especial das Nações Unidas para a Educação

“A maioria das pessoas, quando se lhes pergunta quem foi a pessoa que teve mais influência na sua educação – se não foi um familiar direto, a mãe ou o pai – foi normalmente um professor. Por isso quando alguém me conta as experiências educativas por que passou, penso sempre o quão importante é a profissão de professor. Pode mudar uma vida pode mudar a atitude de um jovem, pode fazer toda a diferença na forma como um jovem pensa sobre si próprio, sobre o futuro, sobre como gerir o seu talento. Não estou a dizer que a educação em geral não é importante, estou a falar da importância dos professores.

Sree Sreenivaasan, professor de Jornalismo Multimédia

“Quando estava no oitavo ano tive uma professora de inglês jesuíta que me disse que o mais importante era colocar bem o traço no “t” e os pontos “is”. E ela não falava em sentido figurado. Agora em iglês usa-se essa expressão: traçar os “ts” e pôr os pontos nos “is”. Ela ensinou-me que a precisão com que se escreve tem um impacto na forma como se pensa e como se organiza a vida e nas nossas relações. Tudo deriva daí. Penso que aprender é algo que fazemos todos os dias, qualquer que seja a idade, profissão e a coisa mais importante que podemos fazer é tentar aprender qualquer coisa todos os dias. No final de cada aula pergunto sempre aos meus alunos: O que é que aprenderam hoje?”